07/12/2010

Replicate

Este comando permite fazer múltiplas cópias do conteúdo do clipboard para a janela activa, colando quantas cópias couberem na área seleccionada. Seleccione um pedaço de um som, copie esse pedaço, seleccione outra parte de um som, mas de um outro clip onde se pretende inserir o som copiado Menu EditPaste SpecialReplicate.

Copy Partials – serão coladas cópias parciais do material que está no clipboard, de forma a preencher toda a região marcada, uma cópia parcial do conteúdo do clipboard é utilizada nos locais apropriados.

Whole Copies
– serão coladas cópias inteiras do material do clipboard, que possivelmente não preencherão completamente a região marcada.

 
Vídeo Tutorial

01/12/2010

Overwrite

É a substituição de sons; permite colar, no ficheiro de áudio um trecho que está no clipboard. Marque um trecho do áudio, depois seleccione o pedaço de som de outro clip que pretende substituir Menu Edit Paste Special Overwrite.
 
Vídeo Tutorial

18/11/2010

Fade In/Out

Evite que um som comece ou termine abruptamente, com o Fade In podemos dar ao nosso áudio um início mais suave – mais trabalhado – seleccione a parte inicial de um som, execute o comando Menu Process Fade In. No mesmo sentido podemos evitar que o nosso som termine rapidamente, – (do nada) – suavizando a parte final. Efectue outra selecção para o final do áudio e realize o Fade Out: Menu Process Fade Out.


Agora, encontramos um áudio mais trabalhado e suave, que causa outro gosto no nosso ouvido. De referir, que este método pode ser utilizado apenas num  ou em vários canais de áudio, permitindo criar diversos efeitos em modos como o Stereo, Surround, etc (recorde aqui os canais de áudio).

 
Vídeo Tutorial

11/11/2010

Alterar o Volume do Áudio

O processo de aumentar ou diminuir o som no Sound Forge, permite: aumentar o volume do áudio sem auxílio de ampliar o som “exportado” pelas colunas, isto é, por vezes encontramos áudio em que o seu nível de ondas sonoras é diminuto e precisamos de aumentar abusivamente o grau dos altifalantes (do rádio, computador, etc). Este método também é bastante útil quando, por exemplo, ao realiza uma gravação de áudio, o áudio fica com pouca intensidade (as ondas sonoras não atingem o ideal desejado para “juntar” a um som de fundo, por exemplo; Por outro lado, por vezes encontramos músicas em que o som encontra-se alta de mais, mal equalizada ou com graves e agudos muito acentuado, neste caso, temos de realizar uma diminuição do volume do áudio, para centralizar o áudio em índices mais prefeitos.

Pode-se aumentar ou diminuir o volume de um som, contudo há que ter sempre em atenção que ao aumentar o volume estamos a distorcer o som - ver. Menu Process Volume…




Vídeo Tutorial

05/11/2010

Ficheiros de Vídeo

O Sound Forge suporta ficheiros de vídeo em vários formatos, podemos editar e sincronizar os vídeos com áudio, Menu File Open… e seleccionar um ficheiro de vídeo. O Sound Forge ainda não permite edições de vídeo, mas permite a visualização dos ficheiros de vídeo frame a frame.


A opção Video Preview pode ser aberta a partir do Menu View Video Preview para melhor visualização do vídeo; assim, ao fazer Play veremos o vídeo numa janela própria como se pode verificar na figura.


Uma vez terminada a edição, podemos juntar o áudio a um ficheiro de vídeo. Abrir o ficheiro de áudio Menu File Properties… clicar na secção Video, seguidamente de Attach, concluindo no botão OK.


Vídeo Tutorial

07/09/2010

Extrair Músicas de um CD de Áudio

Ao colocarmos um CD de áudio num computador, com o sistema operativo Windows, este identifica as faixas como: Track01.cda, Track02.cda, Track03.cda… na verdade, este é apenas um recurso utilizado pelo sistema para informar do número de faixas. O CD de áudio não possui estes ficheiros CDA, o som está inserido no CD, porém não está organizado em ficheiros, o sistema é que faz esta interpretação das faixas de áudio.

Quando tentamos copiar um destes ficheiros CDA do CD para o HD (disco rígido de um computador, chamado em inglês de Hard Disk), o que nos aparece é apenas uma espécie de atalho, e não o ficheiro de áudio. Para este feito precisamos de utilizar um programa para extrair as músicas para MP3, WAV ou outro formato.

O Sound Forge permite-nos extrair faixas de um CD de música para edição e gravação num formato diferente.

Menu File Extract Audio From CD… seguidamente seleccionar a música desejada e carregar OK, assim pode guardar-se a música em qualquer formato disponível no software.



Vídeo Tutorial

24/08/2010

Reparações de áudio

Existem, no Sound Forge algumas ferramentas para localizar e reparar defeitos provenientes de edições ou digitalizações.

Ferramenta Find

A ferramenta  permite a localização de falhas/defeitos. O cursor é posicionado no defeito permitindo que seja feita a reparação. Esta ferramenta localiza somente um defeito de cada vez, no entanto, ela poderá ser utilizada várias vezes até que todos os defeitos sejam localizados e reparados.


Menu Tools Find… escolha a opção Glitch, utilizando o Threshold para configurar a forma como a falha vai ser encontrada. Um valor alto irá detectar defeitos somente na região mais elevada, um valor baixo somente irá detectar falhas na região mais baixa.

A sensibilidade do Glitch é calculada através do valor do Sensivity, isto é, se este valor se encontrar muito elevado serão encontradas falhas com maior pormenor. Os valores ideais para a Sensivity encontram-se entre 40 a 60. Para a iniciação da procura de defeitos só é necessária a sua confirmação clicando em OK.


Ferramenta
Repair

Para reparar falhas e defeitos o Sound Forge dispõe da ferramenta Repair, que permite corrigir falhas automaticamente; este instrumento possui três maneiras diferentes de as reparar.

O método mais elementar para reparar falhas é o Interpolate, ainda que deverá ser somente utilizado em distorções com menos de dois milissegundos. É necessário executar bastante zoom, seleccionar o trecho que contém a falha, ir ao Menu Tools Repair Interpolate e, assim, o Sound Forge eliminará a falha, usando os valores da onda que se encontram em cada lado da falha.

A ferramenta Replace permite a reparação de ficheiros de áudio trocando os dados danificados por dados correctos. Este tipo de reparação usa-se para sons contínuos. Este método de reparo deve ser empregue para reparar distorções maiores que as que pode reparar com o Interpolate; Realizar novamente bastante zoom, seleccionar a parte que contém a falha, abrir o Menu Tool Repair Replace assim será criada uma junção, no início até ao fim da falha, reparando-a.

No caso de apenas um dos canais conter a falha, podemos copiar o som do outro canal, para isso utilizamos a opção de reparação Copy other Channel. Começar, mais uma vez, por fazer zoom, escolher a parte que contém a falha, ir ao Menu Tools Repair Copy other Channel. A falha é eliminada, copiando os valores do outro canal.


Vídeo Tutorial

05/08/2010

Gravar som

O Sound Forge possui diversos recursos de gravação de áudio com vários modos e opções incluindo: gravar num ficheiro novo, gravar sobre um ficheiro existente ou modo de gravação remoto. Obviamente, será necessário possuir uma placa de som e um microfone (deve-se ter em atenção o tipo de microfone que se utiliza para gravar, microfones de má qualidade, podem dar origem a sons de má qualidade e maior origem de ruído).

As opções Record e Record Remote não possuem comandos de Undo (retroceder), para evitar acidentes que possa destruir um áudio já gravado, deve ser feita uma nova gravação sempre numa janela diferente.

Depois de criado um novo projecto Menu SpecialTransportRecord ou usando o ícone na barra de ferramentas Transport já predefinida.

Sound Forge tem cinco modos de gravação:

Automatic Retake – quando a gravação é parada, a posição inicial é reconfigurada ao início deste trecho por último gravado, permitindo assim, uma revisão imediata para possíveis correcções.

Multiple Takes Creating Regions – quando a gravação é finalizada, a posição do cursor será a posição inicial do próximo trecho a ser gravado, permitindo assim que novos dados sejam gravados imediatamente. Os trechos são definidos como regiões.

Multiple Takes (no regions) – quando a gravação é finalizada, a posição do cursor será a posição inicial do próximo trecho a ser gravado, permitindo, assim, que novos dados sejam gravados imediatamente. Os trechos não são definidos como regiões.

Create a new window for each take – cria uma nova janela de áudio quando se inicia a gravação de um novo trecho, esta opção é muito utilizada quando gravamos trechos que serão convertidos em ficheiros individuais.

Punch In
(record a specific length)
– É utilizado para gravar em cima de uma selecção específica existente na janela activa. Quando esta opção é utilizada automaticamente são activadas as caixas Start, End e Length.


O botão Arm serve para preparar o sistema para a gravação, “abrindo” o dispositivo de gravação, preparando todos os componentes. Permite ao sistema iniciar a gravação o mais rapidamente possível, assim que o botão Record for pressionado, este recurso é importante quando não se pode perder nenhuma fracção inicial de material na gravação.

Record é o botão que efectivamente inicia a gravação; caso tenha sido usado antes o botão Arm, a gravação iniciar-se-á imediatamente; caso contrário, pode haver um pequeno atraso até que comece a gravação propriamente dita.

Para a gravação parar utiliza-se o botão Stop, este comando também pode ser executado pressionando a barra de espaço.

Podemos programar o Sound Forge para efectuar uma gravação numa determinada hora e especificar quanto tempo vai ficar a gravar o som. Na janela de gravação, escolher a opção Automatic Time. Ao fim de especificarmos a hora para a gravação e o tempo, devemos clicar no botão Arm. A partir deste momento o Sound Forge está pronto e preparado para começar a gravar na hora definida.


O Sound Forge dispõe também de uma opção que permite gravar unicamente quando este detectar som. Começamos por definir os decibéis mínimos para iniciar a gravação. Na janela de gravação escolher a opção Automatic Threshold. Depois de definir o nível de decibéis a partir do qual será iniciada a gravação, clicamos em Arm; quando o nível de decibéis for detectado, o Sound Forge dá inicio a gravação do som.

Por fim, dizer ainda que o Sound Forge, dispões da opção Remote… que activa o modo de gravação remoto, isto é, modo que esconde a janela principal do Sound Forge e mostra apenas a janela de gravação, facilitando a visualização de janelas de outros softwares que estejam a ser usados ao mesmo tempo.


Vídeo Tutorial


23/07/2010

Gravar o projecto no Sound Forge

Após a edição do som, podemos gravar o projecto para mais tarde voltar a ser editado ou gravá-lo num formato de som já com compressão, executar Menu File Save As…

O Sound Forge Project File (FRG) guarda o ficheiro sem compressão, para mais tarde continuar a ser editado, deve-se guardar neste tipo de ficheiro se ainda houver mais alterações a fazer .

Depois de o som estar “pronto”, podemos guarda-lo em vários formatos, entre os quais: Wave da Microsoft (WAV), Windows Media Audio V9 (WMA), MP3Audio (MP3), NeXT/Sun (AU), etc.

No botão Custom podemos alterar as definições do ficheiro de som que fizemos ao criar o projecto.
Sample Rate é o número de amostras digitais por segundo, quanto maior for a taxa de amostragem, maior a qualidade do áudio digital. A taxa de amostragem do som a empregar depende da utilização que pretendemos dar ao áudio, deve depender também do espaço que queremos que o som ocupe, quanto maior a taxa de amostragem, mais espaço vai ocupar o som.

A amostragem do sinal deve ter uma frequência maior do que o dobro da maior frequência captada pelo ouvido humano, se a faixa de áudio está compreendida entre 20 Hz e 20 kHz, então para uma representação fiel de um sinal de áudio, a frequência de amostragem deverá ser superior a 40 kHz.

Um som com qualidade CD tem uma taxa de amostragem de 44.1KHz, o número de bits deverá ser de 16 ou 24 bits dependendo do áudio, utilizados para representar digitalmente o som, quantos mais bits melhor a qualidade do áudio, contudo, maior o espaço ocupado.

As gravações de áudio em DVD são feitas com resolução de 24 bits, e taxa de amostragem de 96 kHz. Para aplicação Multimédia (CD interactivo) deve-se utilizar um frame rate: 44.1 kHz, bit-depth: 16 bits e channels (canais): stereo.

13/07/2010

Eliminar partes de um áudio

Para eliminar uma parte de um áudio, é apenas necessária a selecção do trecho pretendido e, seguidamente, clicar na tecla Del/Delete ou Menu Edit → Delete e o trecho será apagado.

09/07/2010

Crop

A ferramenta Crop permite seleccionar um trecho de áudio e guardar apenas uma parte do som, eliminando o resto.
Para realizar Menu Edit → Trim/Crop.



07/07/2010

Copiar, Colar e Cortar partes de um áudio

Depois de seleccionada a parte pretendida de um áudio, pode-se copiar e colar os seus trechos Menu Edit → Copy para copiar; seguidamente clicar na parte onde a pretender colar Menu Edit → Paste.

Da mesma forma pode-se “cortar” um pedaço de um som de um ficheiro e colá-lo noutro ficheiro Menu Edit → Cut, clicar na parte onde se pretende colar o som e Menu Edit → Paste.

06/07/2010

Seleccionar o áudio através do tempo

Apesar de poder seleccionar trechos de áudio arrastando o rato, por vezes esse tipo de operações de selecção não são os mais precisos. Quando é preciso um alto grau de precisão, devemos utilizar o comando Special → Edit Tempo que se encontra na barra de menus. Agora podemos alterar os valores do Start (inicio) e do End (fim), sendo o Length o tempo seleccionado; para confirmar, botão OK.



01/07/2010

Mark In e Mark Out

O Mark In e o Mark Out são mais uma das maneiras simples que o Sound Forge disponibiliza para a marcação de um determinado trecho do áudio. Principiamos por escolher o ponto inicial da selecção Menu Special → Mark In; seguidamente, escolhemos o ponto final da selecção Menu Special → Mark Out. Assim, podemos ouvir apenas a parte específica do som, basta clicar no botão Play (ou tecla de atalho espaço) e somente será reproduzido o excerto seleccionado.


28/06/2010

Aplicação de Zoom

O Sound Forge oferece zoom nos dois sentidos, isto é, tanto na horizontal como na vertical e a principal função deste recurso é facilitar o corte de trechos de músicas ou aplicações de efeitos, presenteando maior precisão.


Procedemos agora à selecção de uma área, clicando e arrastando com o botão esquerdo do rato, no ficheiro inserido. Realizando um zoom na horizontal e vertical, verificamos que a imagem tornou-se muito maior, facilitando a selecção de qualquer parte da música. O zoom pode ser aumentado ainda mais o que leva a uma maior precisão, principalmente em áreas de menos dimensão.


24/06/2010

Seleccionar o áudio

Podemos seleccionar trechos de áudio arrastando o rato, para seleccionar os dois canais de som deve-se clicar e arrastar na linha que separa os dois canais.


Caso contrário, estará somente a seleccionar um dos canais.


03/06/2010

Reproduzir áudio

Após o ficheiro de áudio digital ser introduzido poderá ser reproduzido ao clicar no botão Play na barra de ferramentas Transport, ou usando a tecla de atalho espaço.

Para reproduzir um som a partir de um determinado ponto, teremos de colocar o cursor de navegação nesse ponto (como mostra a imagem) e, novamente, Play.



01/06/2010

Maus exemplos

O programa Sound Forge ao abrir o ficheiro irá compilar os gráficos do áudio, uma música bem equalizada e masterizada nunca deve exceder os limites da área gráfica e nem ter os gráficos muito próximos da linha imaginaria central.
No seguinte caso, a música encontra-se alta demais, mal equalizada ou com graves e agudos muito acentuados, isto causa um desconforto para quem houve, ocorrendo distorções e perda de qualidade. 
No último caso, verificamos que o som está baixo demais, obriga a quem o quiser ouvir à imposição de aumentar o volume dos altifalantes até que fique com um nível possível de audição, o que leva, novamente, a uma perda de qualidade.

26/05/2010

Agora também na Peopleware

O principal objectivo deste blog foi desde sempre, proporcionar a todos os que pretendem aprender a utilizar esta poderosa ferramenta, desse modo, a partir de agora, para dar a conhecer este projecto a um número maior de pessoas, é possível também visualizar os vídeos tutoriais na plataforma da Peopleware, ver primeira referência aqui.

Homepage da Peopleware: http://pplware.sapo.pt/.

15/05/2010

Crash Recovery

Quando o processamento do Sound Forge é interrompido de forma anormal, como por exemplo, uma falha de energia, todos os ficheiros não salvos são recuperados. Se um ficheiro de som é aberto normalmente, o Sound Forge automaticamente cria um ficheiro temporário com a extensão tmp, este ficheiro é usado para guardar todas as alterações efectuadas (o ficheiro original não é alterado até que seja guardado).

No caso de o Sound Forge detectar que existe um ficheiro temporário aberto, o utilizador será avisado de que o encerramento do programa ocorreu de modo inválido e irá recuperar as alterações a partir dos ficheiros temporários.

12/05/2010

Barra de ferramentas Effects

A barra de ferramentas Effects é onde se encontram os efeitos utilizados para modificar os ficheiros de áudio.


Acoustic Mirror…
– permite utilizar “assinaturas acústicas”, isto é, as características das alterações que ambientes ou dispositivos efectuam sobre um som original;

Amplitude Modulation…
– aumenta ou diminui a amplitude do áudio;

Chorus… – adiciona ao ficheiro de áudio um efeito semelhante a uma música tocada dentro de um túnel ou cano;

Multi-Tap Delay – criar vários delays simultâneos com tempos diferentes;

Simple Delay… – atribui eco ao ficheiro de áudio;

Distortion… – usa-se para distorcer o som;

Graphic Dinamics… – serve para corrigir pequenos pedaços que têm mais ou menos volume do que o desejado;


Multi-Band Dinamics… – esta opção permite trabalhar individualmente em cada banda do ficheiro de áudio, sendo possível aumentar o volume e equalizar o som;

Envelope…
– cria efeitos de volume;

Flange/Wha-Wha… – acrescenta aos ficheiros de áudio uma espécie de vibração;

Gapper/Snipper…
– os efeitos deste botão mudam completamente o som; eles acrescentam pequenos cortes, aumentam ou diminuem a velocidade do som aliado a outra espécie de distorção, é uma excelente opção quando se deseja modificar a voz;

Noise Gate… – é um bloqueador de ruídos, embora pouco eficiente, corta partes do ficheiro de áudio que são tidos como ruídos;

Pitch Bend… – esta opção faz com que o ficheiro de áudio siga a linha do gráfico, este efeito é bastante interessante criando simulações usadas em várias rádios;

Pitch Shift… – permite alterar a velocidade em que o som é reproduzido; aqui se podem fazer os famosos efeitos de voz “lenta” e voz “rápida”, muito usados em rádio e televisão;

Reverb – é produzida uma reverberação no som, dando características de que ele foi gravado em locais específicos;

Vibrato… – acrescenta vibrações diferentes das já descritas, cria algo semelhante a um disco de vinil: está a tocar e se gira para frente e para trás rapidamente;

Wave Hammer… – tem o efeito de compressor e maximizar o volume.

10/05/2010

Barra de ferramentas Process

A barra de ferramentas Process possui várias ferramentas importantes para controlo do áudio.


Auto Trim/Crop…
– guarda determinadas partes do som eliminando o resto, é útil para ficheiros que possuem um grande espaço no início e no fim do áudio;


Bit-Depth Converter – tal como o seu nome indica, permite a conversão do bit-depth, isto é, possibilita a alteração dos níveis de informação capturada;

Channel Converter – faculta o controlo individual das características de cada canal;

DC Offset – ajusta e remove pedaços de áudio que não se encontrem ajustados;

Grafic EQ… – é o primeiro dos três modelos de equalizadores presentes no Sound Forge, é o mais usado por ser o mais simples, permite a criação do efeito envelope e também a aba 10 band que é o mais rápido e prático de mexer como 20 band que permite maior precisão;

Paragraphic EQ… – é o segundo equalizador do Sound Forge, usado mais a nível profissional, consente um maior equilíbrio das suas frequências;

Parmetric EQ… – é o último equalizador que possibilita a aplicação de filtros e efeitos automáticos;

Graphic EQ… – permite criar um fade personalizado, isto é, escolher como se comportará o volume;

Fade In – o volume do ficheiro de áudio vai aumentando, utiliza-se no inicio do áudio;

Fade Out – o volume do ficheiro de áudio vai diminuindo, usa-se no final áudio;

Insert Silence… – insere um trecho de silêncio onde se encontra o cursor do rato, o tamanho do trecho pode ser configurado;

Invert/Flip – inverte a trilha de áudio em relação à linha de base;

Mute – deixa sem som a parte seleccionada;

Normalize… – permite a normalização do gráfico, isto é, deixa o gráfico mais ou menos do mesmo nível;

Pan/Expand… – faculta efeitos entre canais;

Resample… – muda a taxa de amostragem;

Reverse – inverte a trilha, ou seja, o início vai para o fim e o fim para o início. Reproduzindo o som será tocado de trás para frente;

Smooth/Enhance… – torna o áudio mais “suavizado” ou mais “brilhante”;

Time Scretch – diminui ou acelera a velocidade do som no trecho seleccionado;

Volume – permite aumentar ou diminuir o volume de um ficheiro, não se deve aumentar o volume demasiado, pois a qualidade perde-se.

06/05/2010

Barra de ferramentas Transport

A barra de ferramentas Transport contém os botões necessários para reproduzir o ficheiro de áudio.
Record (Ctrl+R) – este comando abre a janela de gravação, para que se possa gravar um novo material de áudio;

Loop Playback (Q) – activa o modo de repetição contínua (loop) no playback;

Play All (Shith+Espaço; Shith+F12) – Este comando reproduz o áudio da janela activa, começando no início, dependendo da posição do cursor;

Play (Espaço) – este comando faz reproduzir o ficheiro, do ponto onde se encontrar o cursor;
Pause (Enter; Ctrl+F12) – este botão faz parar a reprodução (playback) do áudio, mantendo o cursor no ponto em que pára.

Stop (Espaço) – este comando faz parar o ficheiro de áudio quando se encontra em reprodução;

Go To Start (Ctrl+Home) – este comando faz o cursor voltar para o inicio do áudio da janela activa;

Rewind – esta opção faz voltar/retroceder o cursor, take a take ;

Forward
– faz o cursor avançar take a take no áudio da janela;

Go To End (Ctrl+End) – este comando faz o cursor parar no fim do áudio.

04/05/2010

Barra de ferramentas Standard

A barra de ferramentas Standard é mostrada por defeito quando o Sound Forge é iniciado, contém, os botões das aplicações mais utilizada.

New (Ctrl+Shift) – a opção New abre uma nova janela (vazia) para gravação e edição;

Open… (Ctrl+O; Ctrl+Alt+F2) – este comando é utilizado para abrir um novo ficheiro, do disco rígido ou de outro dispositivo de armazenamento como: Pen Drive, Zip drive, DVD-ROM, etc;

Save (Ctrl+S; Alt+Shift+F2) – este botão permite gravar no disco o áudio da janela activa.

Save As… (Alt+F2) – permite ao utilizador escolher o nome, destino e formato no qual deseja guardar o ficheiro de áudio;

Render As… (Alt+F3) – faz o render do projecto actual em ficheiro de média;

Publish… – abre o assistente de publicação de forma a publicar os ficheiros na Web;

Cut (Ctrl+X) – este comando remove (“corta”) a selecção do áudio, e coloca-o no clipboard. Só actua se houver uma parte de áudio seleccionada, e o conteúdo do clipboard é substituído após a sua colagem (“opção colar”) ou substituído por um novo Cut;

Copy (Ctrl+Insert; Ctrl+C) – esta opção copia para o clipboard a área de áudio seleccionada;

Paste (Shift+Insert; Ctrl+V) – esta opção copia do clipboard para o ponto onde se encontrar o cursor da janela activa. Se houver uma nova área seleccionada o comando efectua a troca no respectivo espaço escolhido;

Paste Mix… (Ctrl+M) – insere uma cópia do clipboard no ponto em que estiver o cursor, “mixando” (misturando) com o conteúdo original do ficheiro;

Play From Clipboard – reproduz o áudio que está no clipboard;

Trim/Crop (Ctrl+T) – remove todos os dados do ficheiro do áudio, excepto a área seleccionada. Este comando não terá efeito se não houver partes seleccionadas e não grava os dados para o clipboard;

Undo (Alt+Back; Ctrl+Z) – desfaz a última operação realizada;

Redo (Ctrl+Shift+Z) – refaz a última operação praticada;

Repeat (Ctrl+Y; F4) – repete a última operação ou comando executado;

Editing Tool (Ctrl+D) – ferramenta utilizada para marcar trechos. Uma vez seleccionada esta ferramenta, basta clicar e arrastar o rato sobre o áudio até ao que deseja marcar;

Magnify Tool – botão usado para ampliar ou reduzir as ondas do áudio. Para ampliar clique e arraste o rato sobre o trecho da janela, que será ampliado. Para reduzir, clique duas vezes sobre o áudio;

Pencil Tool – esta ferramenta é utilizada para desenhar manualmente o sinal de áudio. Esta opção só é permitida depois de efectuar um ou mais zooms;

Envelope Tool – selecciona a ferramenta de envelope.

26/04/2010

Painel Principal

Ao abrir o Sound Forge, o painel principal é apresentado, onde poderão ser visualizadas várias componentes, entre as quais:

Barra de Menus – apresenta o menu de todas as funções disponíveis;

Barra de Ferramentas Standard
– proporciona rápido acesso às tarefas mais comuns da aplicação;

Barra Transport
– faculta o acesso às funções de reprodução;

Channel Meters
– apresenta as informações de processamento do sample rate, bit-depht, e configurações dos canais, sendo o canal esquerdo e direito apresentados pela barra esquerda e direita, respectivamente;

Workspace
– área esta que será o ambiente de trabalho onde janelas como Regions List e Playlist podem ser fixadas ao longo da sua área;

Barra de Status
– é onde são representados os níveis de saída do sinal do áudio, bem como medidores que podem ser ligados/desligados quando a opção Play Meters do Menu View é seleccionada.


20/02/2010

Vídeo



Os textos e as imagens paradas são, por vezes, insuficientes para ilustrar acções complexas, por isso, a criação de um vídeo inicial para o CD interactivo, tem como base a ilustração do áudio digital.